Segundo apurou o NJOnline, o superintendente-chefe Baião Biete foi há uma semana afastado do cargo e já se encontra detido na cadeia da Comarca do Congo, acusado por crime de peculato.

O superintendente Baião Biete exerce actualmente as funções de director adjunto dos Serviços de Investigação Criminal, na província do Uíge.

No período em que foi desviado o dinheiro, a direcção provincial da educação controlava 13 981 professores que trabalhavam em seis mil salas de aula com mais 519 725 mil alunos do ensino primário e secundário.

Este desvio levou a que a grande maioria dos professores tenham ficado sem salários ou parte dos salários que lhes eram devidos.