Minha paz está na cadeia de São Paulo?

Tretas, pá! Deixem ainda de São Paulo, mesmo que seja cadeia ou prisão; Mesmo que seja hospital ou centro de saúde; Com Augusto Tomás ou Zenú dos Santos e companhia LDA; Inocentes ou culpados; Deixem ainda à PGR e os tais Tribunais trabalhar avontade; Com ou sem magistrados; Competentes ou incompetentes; Suficientes ou não para a demanda; Disso tudo já sei porque ouvi, li e vi nas telas fraquinhas e sem criatividade; Até, estou cansado de abrir essa nossa lavra comum; Quero saber coisa séria e com reflexos directos na minha vida! Ocorre que o meu CARRO, avariou e não consigo resolver o problema já há um mês. Pensei, então, em comprar novo motor, até porque me aconselharam assim, mas me disseram, depois, que o motor de Toyota Yaris, ocasião, não vou encontrar. Ainda mais de 2013! Upsssss. Nesse matotino todo, táxi daqui e acolá, eis que surgiu uma dúvida: – Posso ou não pensar em comprar um outro carro, segunda mão da Europa ou da terra daqueles nossos manos “terroristas”? Os carros antigos prometidos a entrada vão entrar quando? entrem, por favor, que esse é o meu verdadeiro problema, e deixem de Tretas! Esse é o meu principal problema; Posso sentar à mesma mesa com o pai, a sogra, de olhos postos aos canais públicos, e não só, assistir a um vídeo de Música nacional sem ver as tangas, as nadegas, e as partes pretas do corpo dessa banalizada mulher, sem valor, para a música? Esse é o meu real problema; Posso comprar saldo, de mil kzs e falar uns tantos minutos sem a voz daquela pobrezinha que anuncia o saldo insuficiente? Esse é o meu verdadeiro problema; Posso ir ao meu Buengas, aqui ao lado de sanza Pombo e voltar no mesmo dia para Luanda? Posso faze-lo para Benguela, Malange, Lindas Norte e Sul? Esse é o meu problema e deixem de discursos e Tretas da “mbuandja”; Posso, ainda hoje, ir ao hospital da fubú, ao Kilamba Kia, e ser bem atendido, sem ir à farmácia comprar isto, aquilo de tantas e quantas horas? Esse é o meu outro problema; Posso ir ao Palanca, Mabor, Kicolo, Paraíso, Martires ver os meus manos da banda a serem intoxicados , nas Igrejas, com pastores que só falam inglês, lingala Francês e outras línguas incomum em Angola? Esse é, para mim, um grande problema; Posso chamar os dois irmãos meus, 21 e 23 anos, que sabem ler e escrever, para meter, nem que seja numa fazenda para trabalharmos e ganharem o pão de cada dia? Esse é para mim, um problema grande… Em fim, eu – não sei se é exigir muito – não me importo apenas com jogadas uniformes…quero acções acertadas porque o povo não espera… Enquanto falam em São Paulo, os problemas continuam e ficamos com a ideia de que a vida é São Paulo, PGR ou Norberto Garcia eu ando a pé, sem dinheiro, sem motores, sem peças e sem nada, para além da informação, que não é notícias, que passa na TV! VASCO DA GAMA-Jornalista

Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo