Dirigindo-se ao embaixador chinês na Namíbia, Zhang Yiming, o Presidente Hage Geingob foi claro ao dizer que não deve procurar indicar-lhe o que deve ou não dizer quando discursar no próximo Fórum China-África, que terá lugar já em Setembro, e onde vai discursar em nome da SADC.

Geingog, segundo relata o The Namibian, avisou Yiming depois deste ter afirmado, durante um encontro entre os dois, a propósito do Fórum para a Cooperação China-África (FOCAC), que devia, no discurso que vai proferir em nome da comunidade de países da África Austral, “elogiar as relações entre a China e África, com destaque para a relação profícua entre a China e a Namíbia”.

As palavras de Zhang Yiming que irritaram Hage Geingog, ditas na presença de jornalistas namibianos, foram estas: “Esperamos sinceramente que o camarada Presidente, no seu discurso, no que diz respeito à Cimeira de Pequim (FOCAC), possa focar e elogiar as relações económicas entre África e a China”, acrescentando que o Presidente namibiano devia defender o “apoio político” de África à China, especialmente o da Namíbia.

“Estamos certos de que veremos confirmado o apoio de África”, atirou ainda o diplomata chinês.

E foi por causa destas “instruções” que Hage Geingob disse que tem os seus “próprios assessores competentes” para lhe escreverem os discursos e que não precisa de Zhang Yiming para lhe dar quaisquer indicações que sejam sobre o que deve ou não dizer, acrescentando: “Não somos marionetas!”.

“Não deve dizer o que devemos ou não escrever no discurso porque nós não somos marionetas”, reforçou Geingib, e deu indicações para que o encontro continuasse sobre o programa do encontro de Pequim e não sobre o que ali vai ou não dizer, enquanto presidente da SADC e Presidente da República da Namíbia.

Mas o embaixador chinês não se ficou e disse que já tinha transmitido as suas sugestões aos assessores que escrevem os discursos de Hage Geingoib…

Derivando a sua intervenção para as relações entre Pequim e Windhoek, Zhang recordou que a Namíbia já aceitou os termos do acordo para a construção de um novo aeroporto na capital namibiana, bem como acordos no âmbito da construção de estradas e outras infra-estruturas ou ainda em matéria de turismo.

E disse esperar que a deslocação à China de Geingog corra bem, especialmente o seu encontro com o Presidente Xi Jinping, e que seja ainda criado um comité misto para discutir as questões técnicas que antecedem o avanço dos investimentos chineses na Namíbia.

O FOCAC 2018, que decorre entre 03 e 04 de Setembro, tem como pontos centrais da agenda a agricultura, a indústria, a ciência e tecnologia e as infra-estruturas.