Desporto angolano de luto: morreu o “lendário” Pepino

O desporto angolano está de luto. Morreu no início da noite de hoje, 11 de agosto, o “gladiador das estradas de Angola”,  Alberto da Silva “Pepino”, no hospital geral de Benguela, vítima de doença.

Em entrevista à rádio, o porta-voz do hospital geral de Benguela, Aldimiro Kussivila confirmou o passamento físico do lendário ciclista. Segundo o médico Alberto da Silva “Pepino” deu entrada à principal unidade hospital da província de Benguela por volta das 12 horas, inicialmente diagnosticado por uma insuficiência respiratória.  Fora feito exames, mas o homem que fazia do ciclismo um modo de viver veio a falecer por volta das vinte horas.

Nesta altura, o corpo do malogrado de 96 anos de idade encontra-se depositado na morgue do hospital geral de Benguela, onde ja se fizeram presente diferentes figuras da sociedade benguelense logo que se aperceberam a notícia que abalou a província.

Fonte familiar adiantou ao Pérola das Acácias que “gladiador das estradas” encontra-se doente a cerca de três meses, mas sempre optar em fazer tratamento ambulatório, mediante o acompanhamento de um médico da família, mas hoje o quadro de saúde agravou-se, pelo que tiveram de leva-lo ao hospital geral de Benguela, onde veio por perder a vida horas depois.

Alberto da Silva “Pepino” nasceu na província de Benguela a 24 de outubro de 1922.

Mesmo com a idade avançada, “o mais velho “ eram um homem que  apresentava uma jovialidade de fazer inveja a qualquer pessoa, a ponto de manter as suas pedaladas matinais entre Benguela e Lobito, quase todos os dias, a partir das primeiras horas da manhã.

Pepino notabilizou-se ainda na era colonial, quando, por volta dos anos 70, a partir do futebol passou a desafiar tudo e todos com grandes maratonas de Atletismo, entre Benguela e Huambo, para ganhar uma aposta de 100 mil contos, na altura qualquer coisa como três mil dólares.

Em 1975, por ocasião da independência, superou o seu recorde pessoal ao cobrir a pé a distância que separava Benguela de Luanda, saudando o advento da Independência de Angola e os seus precursores, ganhando a simpatia de todo o povo angolano. Verdadeiro nacionalista, este serralheiro de profissão, que exerce até agora na sua Marcenaria Muxima, encravada nas traseiras do Hotel Luso, propriedade da família, Pepino, foi amigo pessoal do primeiro Presidente da República, Agostinho Neto, a quem, segundo reza a história, chegou a oferecer uma mobília completa.

Actividade ciclista
As actividades de Alberto Silva não ficaram pelo Atletismo, uma vez que no limiar da década de 80 e até 2008, passou a viver as suas aventuras em cima da bicicleta, em trajectos muito semelhantes aos que fazia no Atletismo, tendo por três vezes coberto a distancia entre Benguela e Luanda em etapas diárias, com médias de 30 quilómetros. A principal actividade na modalidade aconteceu em 2009, quando Pepino participou nos Jogos Olímpicos da terceira idade disputados na Califórnia (Estados Unidos), uma competição que se realiza entre praticantes de várias modalidades com idades compreendidas entre os 50 e os 100 anos.

Em 2009, o ciclista angolano Alberto Silva “Pepino”, natural de Benguela, participou em São Francisco da Califórnia, Estados Unidos da América (EUA), nos Jogos Olímpicos da terceira idade.
Em 2013, voltou aos EUA onde se sagrou campeão mundial na sua categoria, conquistando duas medalhas de ouro em provas de contra-relógio e de fundo.


Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo