Os despedimentos surgem numa altura em que os trabalhadores estão a caminho de sete meses sem salário.

A emissora estava sem direcção geral desde 1 de Setembro de 2016, quando o antigo director, padre Quintino Kandandji, foi afastado do cargo devido a má gestão, incluindo o despedimento em massa de cerca de 20 trabalhadores, entre profissionais de jornalismo e administrativos.

Depois do fracasso do sacerdote Quintino Kandandji, o padre Maurício Camuto, que já esteve no comando da direcção entre 2007 e 2010, regressou à Ecclesia como director-geral em Dezembro de 2016, com a incumbência de dar um novo fôlego à emissora, que no que respeita às questões financeiras, quer do ponto de vista editorial, como textos sem censuras, trazer de volta os jornalistas expulsos pela antiga direcção, manter uma grelha de programação credível e abrir espaço aos ouvintes no programa “Manhã Ecclesia”, no sentido de dar uma nova dinâmica à rádio e aumentar os níveis de audiência, contou ao NJOnline um trabalhador da Ecclesia, que se diz surpreendido com esta reviravolta.

“Com o nosso regresso, a rádio melhorou muito”, contam alguns dos seus profissionais.

“O programa “Manhã Ecclesia`, por exemplo, está com outro nível de audiência devido à nova dinâmica que implementámos na grelha de programação”, ressaltaram.

Os profissionais de jornalismo que foram afastados pelo padre Maurício Camuto, desde a semana passada, são inclusive seniores, como Helena Lima, Tomás de Melo, Agostinho Gayeta, Sebastião Júnior e Guilherme da Paixão, disseram ainda os profissionais.

O NJOline soube ainda de fonte próxima da direcção da Ecclesia que, em breve, irão sair mais alguns jornalistas, “para evitar a acumulação de dívidas com um número elevado de pessoal”.

“Os bispos têm conhecimento do que se está a passar internamente mas ninguém faz nada para melhorar a nossa situação”, disse.

“O padre Maurício foi muito mau connosco, se não tem dinheiro para pagar os salários, pelo menos dava-nos uma justificação”, lamentou, salientando que os jornalistas estão a ser surpreendidos desde a semana passada com cartas de “cessação de prestação de serviços”.

Perante este cenário, o NJOnline contactou o director-geral da Rádio Ecclesia, padre Maurício Camuto, que disse que a direcção da emissora vai fazer em breve um comunicado para esclarecer esta situação.

“De momento não há nada a falar, em breve a direcção da Ecclesia vai esclarecer este caso”, rematou.