Após acidente Comandante Panda submetido a teste de alcoolémia

Dias depois da ocorrência do fátidico acidente de trâsito que envolveu o Comissário Geral da Polícia Nacional, continuam a surgir informações de como o processo subsequente está a decorrer com vista ao esclarecimento de todos os factos.
Fontes da Polícia Nacional confirmam ao nosso jornal que o Comandante Geral foi submetido ao teste do bafômetro em função do seu envolvimento no acidente de viação ocorrido na madrugada de quarta-feira última, na cidade do Kilamba, tendo o acusado valor negativo.

De acordo com a fonte que vimos citando, foi submetido ao mesmo procedimento o condutor da terceira viatura envolvida no acidente, no caso o Renault Sandero, da empresa Allo Taxi, o cidadão Mbenza Miguel Sebastião, cujo resultado do teste também foi negativo.

Explicando, a fonte que preferiu não ser identificado esclareceu que a testagem da quantidade de álcool no sangue é um procedimento legal obrigatório a todos os intervenientes em acidentes de viação, independentemente da sua condição ou posição social.

Confrontado com a possibilidade de o Comandante Geral puder se recusar a ser submetido ao teste por uma questão de hierarquia, o mesmo explicou que uma eventual recusa teria sido prejudicial ao próprio Comandante, em sede do julgamento, “porquanto o comprovativo do teste é assinado pelo próprio e junto ao processo”, disse.

Recorde-se que do acidente resultaram duas mortes e um ferido, no caso o próprio Comandante Geral, que se encontra hospitalizado na unidade de tratamentos intensivos do hospital militar central, em Luanda.



Ao contrário do que normalmente acontece em acidentes envolvendo titulares de cargos públicos, o Comandante Geral da Polícia decidiu apoiar individualmente os óbitos das vítimas da colisão em que esteve envolvido na madrugada de quarta-feira, na cidade do Kilamba.

A fonte que temos vindo a citar dizem que o oficial diz que por se tratar de uma questão pessoal e não institucional, Panda indicou um compadre seu e a esposa para estabelecer negociações com as respectivas famílias e definirem as modalidades do apoio.

Familiares das vítimas confirmaram ao nosso jornal que a família do Comandante da Polícia assumiu já a responsabilidade pela compra das urnas e manifestou total disponibilidade para negociarem apoios futuros, em forma de indemnização.

Refira-se ainda que a informação relativa ao apoio que está a ser prestado foi confirmada ontem durante uma reportagem da TV Zimbo por um dos irmãos do condutor da viatura Hyndai, modelo i10.

Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo