Indústria da construção precisa pelo menos de 50 mil trabalhadores.

O défice de mão-de-obra é fenómeno de zonas urbanas, com Lisboa e Porto à cabeça. Sindicato quer salário mínimo de 850 euros para combater a escassez

Sindicatos e associações patronais estão de acordo. A indústria de construção debate-se com falta de mão de obra que varia, segundo os cálculos, entre 50 mil e 100 mil trabalhadores, para fazer face ao programa anunciado de obras públicas, reabilitação urbana e ao investimento privado no segmento residencial e industrial.

As gruas voltaram a marcar as paisagens urbanas. O motor da recuperação é o segmento residencial nos grandes centros, impulsionada pelo investimento estrangeiro.


Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo