Recorde-se que em Abril, a De Grisogono tinha anunciado o despedimento de 41 trabalhadores, quase um terço dos 104 postos de trabalho existentes em toda a sua organização, incluindo lojas nos EUA, devido à redução das vendas.

A crise surge meses depois de a firma ter perdido a parceria com a SODIAM – Sociedade de Comercialização de Diamantes de Angola, ligação que terá facilitado, entre outras gemas, a compra do maior diamante encontrado no país, com 404 quilates, por 16 milhões de dólares, posteriormente transformado numa jóia de 163 quilates que gerou um negócio de 34 milhões USD após um leilão na Christie”s.

No anúncio de despedimentos inicial, em Abril, estava planeada a dispensa de 41 funcionários, 31 na Suíça e 10 noutras partes do mundo, estando agora a redução no país-sede da De Grisogono limitada a 28, sem que a empresa tenha divulgado informação sobre os 10 previstos fora daquele país europeu.

Esta alteração de planos surgiu após um período de auscultação dos funcionários com ordem de despedimento, como a lei suíça impõe, tendo a legislação por objectivo permitir aos funcionários avançar com propostas alternativas ao despedimento que possam satisfazer ambas as partes.

Aproveitando esta transformação, e com, alegadamente, menor acesso a diamantes que a ligação à SODIAM proporcionava, a De Grisogono reorganizou o seu negócio, virando-se mais para a joalharia fina e para os relógios, mantendo, todavia, a marca de luxo que a distingue.

Recorde-se que em Abril, também através de um comunicado, a empresa explicava que “apesar dos investimentos consideráveis, as vendas não atingiram os níveis esperados, em parte por causa das condições difíceis em alguns mercados-chave”.

A mensagem não especificava quais os mercados-chave em causa, mas revelou-se inevitável a associação a Angola, tendo em conta que a maioria do capital da De Grisogono é detido pela empresária Isabel dos Santos e pelo marido, Sindika Dokolo, e considerando que, em Dezembro do ano passado, a joalharia perdeu a parceria com a SODIAM – Sociedade de Comercialização de Diamantes de Angola.

A SODIAM anunciou a saída da sociedade Victoria Holding Limited, por via da qual, de forma indirecta detinha uma participação societária minoritária na sociedade holding do grupo joalheiro De Grisogono, “por razões de interesse público e de legalidade”.

Segundo um comunicado da empresa pública angolana, divulgado a 1 de Dezembro de 2017, a sua participação, ainda que minoritária na sociedade de direito maltês Victoria Holding Limited, e indirectamente no grupo joalheiro De Grisogono, “gerou, desde a sua constituição em 2011 exclusivamente custos para a SODIAM”.

Sem precisar o impacto da parceria nas contas da companhia estatal, o conselho de administração revelou apenas que os encargos até aí suportados decorriam “quer dos financiamentos bancários que contraiu, quer dos resultados negativos que têm sido sistematicamente apresentados pelo grupo” joalheiro.e à saúde; a chamada para os centros acessórios da política de i