Bié regista dezenas de óbitos por VIH-Sida

Os índices de prevalência do VIH-Sida na província do Bié estão em 5.8, com maior incidência no género feminino,  e provocou a morte a 41 mulheres adultas em 2017, revelou, ontem, o coordenador local do Comité de Combate a doença.

Boavida Neto, avançou dados preocupantes, durante a primeira reunião ordinária do comité, com realce para 1.116 casos positivos  e destacou os casos de óbitos de 21 doentes do sexo masculino no mesmo período.
O também governador do Bié disse que o quadro da doença agravo-se com mais casos novos por insuficiência de uma pesquisa na região por razões culturais, fome e pobreza, o que torna as famílias mais vulneráveis.
Boavida Neto pediu para se  identificar se o maior foco da doença  está nas zonas urbanas ou suburbanas, para melhor intervenção. Por isso, pediu a todos solidariedade e   consciência no combate ao VIH-Sida.
\”A sida passou a ser um problema de todos nós e não apenas do portador ou do doente e  impende sobre o  Estado aresponsabilidade de encontrar soluções para irradicar a doença\”, sublinhou.
Boavida Neto apelou aos agentes  no combate ao VIH-Sida, à sociedade civil e aos parceiros para intensificarem a luta, tornando a educação o instrumento de prevenção.
A estatística das mortes e o aumento de mais contaminação, em parte, estão associadas à falta de suplementos nutricionais para os mais vulneráveis.
De acordo com Boavida Neto, o défice em acompanhar crianças órfãs com VIH e a insuficiência de testes são também facores de risco.
A rede sanitária do Bié é composta por 178 unidades e dispõe de 100 salas para testes e aconselhamento. Tem  disponíveis 116 mil preservativos para mulheres e 42 mil para homens, bem como 600 testes.

Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo