Os “boatos” que obrigaram o BP do MPLA emitir comunicado de emergência

Circula nas redes socias, uma breve narrativa da reunião do BP do MPLA, do dia 12 de Março de 2018, considerada “Top secret”, que obrigou o BP do MPLA, a emitir um comunicado de emergência.

Eis do que está a ser dito nas redes sociais:

Na sequência da apresentação dos temas propostos para a reunião pelo Presidente do partido, e após as primeiras intervenções, eis que Rui Falcão pede um ponto de ordem e diz o seguinte “Me fizeram sair da minha província, abandonando tarefas imediatas, para discutir isso? Não é isso que temos que discutir, Cda. Presidente, nós temos que discutir aqui sobre a bicefalia. Então lá fora toda a gente fala da bicefalia e nós aqui não falamos dela? O Cda. Presidente tem que dizer quando é que vai deixar a presidência do partido ao Cda. João Lourenço!” . Seguiu-se outro pedido de intervenção, Dino Matross “Concordo com o cda. Rui Falcão, o Cda Presidente tem que nos dizer quando é que vai sair da liderança do partido, já está na hora da marcação do Congresso Extraordinário!”. Um outro dinossauro do partido não se fez rogado, Roberto de Almeida “Em vez de voltarmos aqui na sexta-feira para falar de assuntos sem importância, temos de vir aqui para o Cda Presidente marcar a data do Congresso que decidirá sobre a sua saída!”.

Perante o cenário de contestação em que estava, JES tomou a palavra para dizer : “Meus cdas temos que agir com muita calma no tratamento desse assunto… Desde já, quero dizer ao cda Roberto de Almeida que não esperava isso de si… No entanto, não poderei estar presente na reunião de sexta-feira e delegarei poderes para o Secretário Geral do partido presidir a referida reunião…” Desta vez quem não deixou JES terminar de falar foi o próprio João Lourenço “Porquê o Secretário Geral, se eu estou aqui e na hierarquia do partido o Vice-presidente está acima do SG?!” JES se explica “Há um entendimento no partido de que o Cda. JL, enquanto PR, tem muitas preocupações a nível do Estado e preferimos liberta-lo das tarefas partidárias…” Ergueu-se um alvoroço na sala e em coro Dino Matross e Roberto de Almeida se fizeram ouvir “Cda Presidente, isso é falso problema, no seu tempo sempre foi assim, entregue a presidência do partido ao Cda João Lourenço, pelos vistos o Cda Presidente quer manter a indefinição por muito tempo”.

De seguida, JL diz “Está decidido, na quinta-feira estaremos aqui e vou presidir a reunião para definir a data do Congresso Extraordinário”.

Com estas palavras, e sob aplausos e muitas manifestações de alívio, terminava a reunião.

REACÇÃO DO MPLA

O MPLA negou, esta terça-feira, a existência de clivagens graves no seu seio, numa nota de esclarecimento distribuída à comunicação social, reagindo a informações postas a circular nesse sentido nas redes sociais.

“Indivíduos eivados de má-fé estão a fazer circular, através das redes sociais e não só, uma onda de especulações, fazendo crer da existência de clivagens graves no seio do MPLA”, afirma a nota, sem entrar em detalhes.

De acordo com o documento, isso “não corresponde à verdade, porquanto o Partido mantém-se coeso e pronto para discutir, democraticamente, todos os assuntos da actualidade política de Angola”.

A nota de esclarecimento do Departamento de Informação do Comité Central sublinha, no entanto, que nunca a Direcção do MPLA se furtará à reflexão, clara e objectiva, sobre o processo de transição político-partidária.

De acordo com informações postas circular nas redes sociais, alguns membros do Bureau Político terão questionado, na sua reunião de segunda-feira, o Presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos, sobre quando passaria a direcção do partido ao Vice-Presidente, João Lourenço, por forma a acabar-se com a bicefalia que se regista na condução do Estado e do partido.

Para outros participantes do encontro, ainda segundo as redes sociais, a reunião do Comité Central do partido, marcada para a sexta-feira, deverá convocar um congresso extraordinário, para decidir-se sobre a passagem da presidência do MPLA a João Lourenço.

A ANGOP pediu a confirmação do secretário de Informação do MPLA, Norberto Garcia, sobre três questões, nomeadamente se a reunião do Comité Central, sexta-feira, iria, de facto, convocar o congresso extraordinário.

Da mesma forma, a agência pediu ao político para confirmar se o assunto seria discutido na véspera, em sede da reunião do Secretariado do Bureau Político, e se o Vice-presidente do MPLA, João Lourenço, presidiria ao encontro.

Até às 24 horas de terça-feira, Norberto Garcia não havia reagido às questões que lhe foram enviadas por mensagem  telefónica.

Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo