Ex-PCA da “SODEMAT” detido por suposto desvio de quatro milhões de dólares na Huíla

O Tribunal provincial da Huíla ordenou segunda-feira, no Lubango, a detenção do antigo presidente do Conselho de Administração da Sociedade de Desenvolvimento do Perímetro Irrigado da Matala (SODEMAT), Luís Arsénio Salva Terra, por suposto desvio de quatro milhões de dólares durante a sua gestão, de 2006 a 2012, revelou hoje (quarta-feira) o procurador-geral da República na província da Huíla, Hermane João Beira Grande.

Em declarações à Angop, Hernane João Beira Grande salientou que, para além do PCA, foram, também, detidos três ex-administradores da “SODEMAT”, nomeadamente Domingos Paulo, Camilo Miguel José e Ernesto Gonçalves, pelo mesmo motivo.

Explicou que os suspeitos foram constituídos arguidos num processo que correu todos os trâmites no Serviço de Investigação Criminal (SIC) e estão indiciados no crimes de peculato, previsto e punido pela conjugação dos artigos 313, 437 e 421 do numero cinco do Código Penal.

O processo iniciou em 2012 e só este ano vai a juízo, tendo os suspeitos sido recolhidos à cadeia pelo crime, cuja moldura penal não permite que respondam em libedade.

A “SODEMAT” tem como objecto social administrar infra-estruturas, cursos de águas e solos, implantar pólos agro-industriais e agro-pecuários, no perímetro irrigado da Matala, competindo a este Conselho de Administração gerir todos os negócios e efectuar as operações relativas à sua materialização, dentro dos limites legais e da escritura da sociedade, o que não aconteceu.

A Sociedade de Desenvolvimento do Perímetro Irrigado da Matala foi constituída em 2006 e explora um perímetro com um canal de 42 quilómetros de extensão e com uma área potencial de cerca de 10 mil hectares, dos quais apenas cerca mil e 500 hectares são aproveitados, actualmente.

Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo