Milhares de famílias atendidas graças ao ‘’espírito de equipa e coesão’’, que permitiu aumentar a quantidade e proporcionar elevados padrões de qualidade  

A Empresa de Águas e Saneamento do Lobito (EASL) entra para o novo ano convicta de que não mais haverá falhas no abastecimento por longos períodos, após ter fechado 2017 com projectos que beneficiaram 180 mil cidadãos, muitos residentes no município da Catumbela.



São sete os projectos executados ao longo de um ano de dificuldades económicas, pelo que o recurso a meios próprios foi inevitável, assegurado que estava o apoio de empresas locais como a PIS e a Sousa e Companhia, mas há um a merecer destaque, o projecto de aumento da quantidade e melhoramento da qualidade.

Delineado para a população da zona alta da Catumbela, para o PDIC – Pólo de Desenvolvimento Industrial do mesmo município, Luongo e para o bairro São Pedro, no Lobito, surgiu como resposta a alterações nos indicadores de qualidade da água extraída do antigo campo de furos, concretamente em relação à turvidez, salinidade e dureza.

Assim é que a EASL se viu obrigada, há cerca de um ano, a fechar, gradualmente, estes furos, num exercício que visou salvaguardar a saúde pública.



Este projecto de aumento da quantidade e dos padrões de qualidade, resumido em acções como a recuperação da cacimba de estabilidade, implantação de 524 metros de conduta, obras de construção civil na cacimba, fabricação da estrutura metálica e instalação de equipamentos electromecânicos, beneficiou directamente quase 19 mil famílias dos bairros Alto Niva, Mulumba, Luongo e São Pedro.

Na hora do balanço, o presidente do Conselho de Administração, Eng.º Henrique Calengue, destacou o elevado espírito de missão e de coesão existente na equipa de trabalhadores da Empresa de Águas e Saneamento do Lobito, acrescido das poupanças operadas nos últimos três anos. ‘’Isto fruto de uma redução de custos e uma gestão criteriosa dos recursos disponíveis, imposta pelo contexto económico do país e da empresa, no caso particular’’, sublinha o gestor, que salientou, no discurso de cumprimentos de fim de ano, acções levadas a cabo em áreas com características geográficas complexas, onde existem cotas ou altitudes que vão até 400 metros.



Após uma palavra de agradecimento aos jovens envolvidos na empreitada, extensiva à Administração da Catumbela e à população, Calengue pediu aos ‘’críticos que tenham denegrir a imagem da EASL’’, que se juntem ao grupo com propostas concretas no sentido de melhorar o trabalho efectuado por gente que ‘’não é perfeita’’.

Este desempenho mereceu rasgados elogios do governador provincial, Rui Falcão Pinto de Andrade, que prometeu apoio institucional do seu Executivo para os próximos tempos.


Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo