Osvaldo Manuel Pacavira Narciso, de 35 anos, engenheiro electromecânico, tinha sido visto pela última vez no último domingo, 21, ao volante de um Toyota Prado.

Segundo a PN, a viatura – na qual a vítima seguia quando foi raptada – também foi recuperada.

Entretanto, o Serviço de Investigação Criminal (SIC) deteve, na quinta-feira quatro, cidadãos nacionais, suspeitos de envolvimento no rapto e assassinato de “Maju”, como era conhecida a vítima, que deixa três filhos , apurou o Novo Jornal Online.

Segundo uma fonte do SIC, que preferiu falar sob anonimato, os quatro suspeitos foram detidos ao final da tarde de quinta-feira, tendo um deles revelado que o móbil do crime foi a viatura topo de gama de marca Jaguar XE, que teriam tentado comprar à vítima.

“Os quatro suspeitos montaram um esquema para adquirir a viatura, mas os mesmos estavam incapazes de comprar o carro por falta de dinheiro”, apontou, acrescentando que o jovem foi raptado porque o alegado comprador teria seguido a vítima até à sua residência no condomínio “Dolce Vita”, Talatona.

“Depois de o jovem ter chegado ao parque de estacionamento do condomínio, entraram outros elementos, que o sequestraram”, disse, sublinhado que os suspeitos regressaram ao condomínio e levaram o Jaguar.

De acordo com a fonte, o Serviço de Investigação ordenou a autópsia que confirmou que “o jovem Osvaldo morreu por traumatismo craniano”.

Entretanto, também o MPLA publicou no seu site oficial uma nota onde cita uma mensagem da família de Osvaldo Narciso “Maju” a agradecer a ajuda na busca depois do seu desaparecimento e a informar do trágico desfecho.

Nessa nota, o partido que sustenta o Governo reproduz o comunicado do Ministério do Interior , acrescentando um pedido ao cidadãos para adoptarem medidas de segurança que reduzam as oportunidades dos marginais e para denunciarem todas as situações se suscitem dúvidas.