Em Setembro do ano passado, o director Nacional da Viação e Trânsito (DNVT) prometeu junto da «opinião pública nacional e internacional» que as Cartas de condução e Livretes dos veículos seriam emitidos no espaço de 15 dias.
Na altura, o comissário Joaquim Gomes havia garantido que os constrangimentos que infernizavam a vida milhares de automobilistas tinham sido ultrapassados.
Volvidos quatro meses desde que foi feita a promessa, o facto é a situação não registou melhorias ou, antes pelo contrário, tende a agravar-se com milhares de documentos por emitir, sobretudo em Luanda.
Há quem se questione as razões que levaram à DNVT a abrir há cerca de dois meses um centro de emissão de cartas e livretes no Lubango, quando a instituição mal consegue dar vazão aos problemas que afectam a capital do país. «Não será uma forma de desviar o foco das atenções?», pergunta-se.
Diariamente, centenas de cidadãos deslocam-se aos centros de emissões de cartas, sobretudo no SIAC, ao Talatona, que tem registado inúmeras enchentes e longas horas de espera. A deficiente capacidade de resposta tem conduzido aos habituais «esquemas» que envolvem «gasosas» aos funcionários do órgão policial.
Em meio às lamúrias, algumas vozes têm subido de tom, ao ponto de pedirem ao novo comandante da Polícia Nacional para que proceda o mais urgente possível a uma «vassourada» no seio da DNVT, de forma a «corrigir o que está mal».

Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo