Avião da TAAG aterra de emergência em Luanda após avaria

Um avião das Linhas Aéreas de Angola (TAAG), que operava na rota Luanda/Lubango, regressou de emergência à capital do país, na noite de sábado último, na sequência de uma avaria técnica logo após a descolagem.


TAAG REAFIRMA COMPROMISSOS COM OS CLIENTES (IMAGEM ILUSTRATIVA DE UM AVIÃO DA COMPANHIA)


Trata-se da aeronave do tipo Boeing 737 – 700, que levava a bordo acima de 60 passageiros. O aparelho estava com 50 porcento de ocupação acima das suas capacidades, segundo o porta-voz da Taag, Carlos Vicente, que disse tratar-se de um problema pontual, que originou o retorno do avião ao Aeroporto 4 de Fevereiro.

Após o sucedido, chegaram a correr nas redes sociais informações de que o aparelho teria perdido a capacidade de oxigênio, dado que a fonte desconfirma.

Carlos Vicente disse à ANGOP que a tripulação tomou todos os procedimentos de segurança, após a tripulação se aperceber do sucedido, sem especificar o tipo de avaria registada.

Informou que os passageiros foram depois transportados em voos subsequentes com destino à cidade do Lubango, sublinhando que não foi possível, ainda sábado, a Taag realizar o mesmo serviço, trocando a aeronave, devido à hora limite para se operar no aeroporto do Lubango (22:00).

Sublinhou que a aeronave aterrou em segurança e foram respeitados todos os procedimentos de segurança, não tendo havido problemas com qualquer dos passageiros.

“Não há nada de anormal. As operações aéreas nos voos domésticos não ficaram afectadas. A Taag está a cumprir a sua programação normal nos seus voos domésticos”, rematou Carlos Vicente.

Em relação ao Boeing 777-300 da companhia angolana de bandeira, que se encontra no aeroporto de Lisboa (Portugal) desde sexta-feira, o porta-voz da TAAG confirmou ter havido um problema técnico registado por altura da aterragem.

Disse que, também nesse caso, a tripulação adoptou todos os procedimentos de segurança, tendo os passageiros sido desembarcados em segurança e de seguida alojados em alguns hotéis da capital portuguesa.

Carlos Vicente referiu que todos os ocupantes foram protegidos e encaminhados para Luanda e outros destinos, frisando que as operações decorrem normalmente com os aparelhos 777-300 e que a TAAG respeita os compromissos firmados com seus clientes.

A propósito disso, chegou a circular informação segundo a qual um Boeing 777-300 teria tido alguns pneus rebentados na aterragem, provocando pânico dos passageiros. “Foi um problema técnico que surgiu por altura da aterragem”, confirmou, sem, no entanto, especificar o tipo da avaria.

Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo