Esta informação foi avançada hoje ao Novo Jornal Online pelo administrador cessante da “Mediateca Zé Dú”.

Janhan Matos adiantou que foram desviados 53 computadores, três viaturas de apoio, material de limpeza, mesas, diversos livros e documentos da mediateca.

Segundo o responsável, o saque foi realizado por elementos da direcção cessante, exonerada no passado mês de Outubro, após a nomeação do novo secretário de Estado para área das Telecomunicação e Tecnologias de Informação.

“Eles sabiam que haviam de ser substituídos, e começaram a retirar algumas coisas, na quarta-feira, sem no entanto nos dizerem nada”, disse o responsável, demarcando-se da direcção cessante.

De acordo com Jahan Matos, na quinta-feira à noite, sem nenhum funcionário presente, os computadores e mesas saíram das instalações, situação que só foi detectada no dia seguinte.

A operação foi testemunhada por um dos seguranças da mediateca, que falou ao Novo Jornal Online sob anonimato.

“Eles carregaram de noite os computadores e as mesas, não tínhamos como impedir visto que são da direcção”, relatou.

Jahan Matos garante que o caso foi denunciado assim que deram conta do desaparecimento dos materiais, na sexta-feira.

“Hoje as portas estão fechadas porque também levaram as chaves”, explicou, acrescentando que as chaves foram requisitadas para o fim-de-semana sob pretexto de uma desinfestação, que não chegou a acontecer.

O Novo Jornal Online tentou obter a versão dos factos da directora cessante, Solange Cassoma, acusada de liderar o desvio de equipamentos, mas ainda não obteve resposta.

A Mediateca “Zé Dú” recebe mais de 600 usuários por dia, tendo sido inaugurada em Agosto do ano passado, numa homenagem ao promotor do Projecto da Rede de Mediatecas de Angola, José Eduardo dos Santos.

Ocupa uma extensão com 15 mil metros quadrados e cobra 1.000 kwanzas pelo acesso, pagamento válido por um ano.