Suspensas obras de requalificação da piscina da Senhora do Monte

A administração municipal do Lubango, suspendeu, sexta-feira, nesta cidade, as obras de requalificação do lago artificial, a também chamada piscina da Senhora do Monte, enquanto se aguarda pela apresentação pública do projecto e possíveis alterações no mesmo.

O caso despoletou vários  comentários  de alguns munícipes, através  das redes sócias e órgãos de comunicação social local.

Estes manifestaram-se agastados pelo facto de estarem  a ser feitas obras no local, sem que administração tornasse público tal intenção e nem se quer na mesma ter uma placa que explicasse  o que realmente se pretende efectuar no local.

Em  conferência de imprensa, sexta-feira, o administrador municipal do Lubango, Francisco Barros, destacou que as obras de requalificação surgem em detrimento das constantes reclamações  que receberam sobre o mau aproveitamento de alguns locais públicos do recinto.

“Nós,  fomos reflectindo para que se pudesse encontrar uma solução de aproveitamento daquele lago, que durante muitos anos e devido ausência de outro tipo de diversão de jovens e adultos a nível da cidade do Lubango,  decidimos  que poderimos aproveitar ao máximo o espaço,  mas  fruto do actual contexto económico do país,  recorremos a parceria público-privada para o aproveitamento dos  vários  espaços nestas condições”, realçou.

Entretanto, referiu que os munícipes não estão de acordo com  alterações  que estão a ser feitas, por esta razão, a partir desta data, para que a obra fique suspensa,  para que  nos próximos dias seja  apresentado o projecto ao público, para colher contributos.

Francisco Barros  pediu  desculpas publicas por ter havido um distanciamento na  explicação a tempo e hora sobre o que se poderia realizar em termos  de obras na piscina da Nossa Senhora do Monte.

“Não houve qualquer alienação daquele património, o nosso interesse é apenas o aproveitamento para fins turísticos e comerciais, colocando à disposição de todos, porque o Estado não tem condições financeiras suficientes para a gestão de todos os equipamentos que estão sob alçada  da administração e em mal estado de conservação”, justificcou

A  título de exemplo apontou parque infantil,  o bar do Tangue da fenda da Tundavala,  o casino da senhora do Monte, a Praça João Paulo II entre outras  infra-estruturas  e alguns  equipamentos e patrimónios da administração municipal  estão entregues a terceiros.

”  É neste  âmbito e numa perspectiva das políticas  de parcerias  público-privada que estão a experimentar a gestão  destes espaços”, referiu Francisco Barros.

Sublinhou que a requalificação dos principais centros urbanísticos e turísticos da cidade, com destaque para o complexo da Nossa Senhora do Monte, onde tem se passado as seculares  festas com o mesmo nome, constam do plano director do Lubango,  no que toca a  fauna,  flora e  equipamentos comerciais,  desportivos,  além da vedação da estufa e  da  floresta para se preservar o bem comum que ali se encontram.

As obras tiveram início em Junho do ano em curso e  estão a cargo do consorcio  ABC e BPC, que pretende dividir a piscina em  duas alas, sendo uma de adultos e outra de crianças, separadas por um  restaurante.

Francisco Barros  referiu que  as alterações a serem feitas não vão manchar as características iniciais.

Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo