Estudo aponta aumento do consumo de cerveja em Luanda

O consumo de cerveja na província de Luanda registou, de Maio a Outubro de 2017, um aumento de 33,7 porcento, comparativamente ao mesmo período em 2016, que rondou os 32,5%, de acordo com um estudo da Marktest Angola, publicado hoje.

Segundo o estudo da Marktest Angola, das duas mil e 500 entrevistas aos indivíduos de  ambos os sexos, com 15 e mais anos de idade, residentes na província de Luanda, concluiu-se que a Nocal foi a cerveja mais foi consumida em 2017, enquanto a Cuca liderou as preferências em 2016.

Além da cerveja, os resultados do estudo de mercado indicam também que 80% dos inquiridos em Luanda consumiu refrigerantes em 2017, contra 73,6% de 2016, tendo a Coca-Cola ocupado o primeiro lugar do top 8, seguindo-se a Fanta.

Maior parte deste consumo foi feito no mercado informal, tendo em conta a facilidade de aquisição destes bens, segundo os resultados do estudo apresentado pela directora-geral da  Marktest Angola, Ana Paula Pereira.

O estudo baseado num total de quatro mil entrevistas, que serviu como a amostra representativa da população global de Luanda, que ronda os sete milhões de pessoas, aponta que 57,6 porcento de cidadãos possuem uma conta bancária, enquanto 42% não tem conta no banco, alegando a falta de dinheiro.

No sector da comunicação social, a Rádio Luanda continua a ser a líder da audiência, principalmente o programa apresentado pelo jornalista Paulo Miranda, enquanto o apresentador Jorge Gomes (Man Gomito), da Rádio Mais, é tido como o locutor preferido pelos ouvintes, enquanto Ernesto Bartolomeu é o apresentador pelo qual recaem as preferências.

A Televisão Pública de Angola lidera actualmente a audiência televisiva. Até Maio último, a Zap Novelas dominava a audiência da televisão.

Na imprensa escrita, sem contar com os portais ou agências de notícias, o Jornal de Angola foi o diário de destaque neste período, enquanto o Nova Gazeta dominou a audiência dos semanários. As revistas semanais Lux e Chocolate foram as que mais prenderam a atenção dos leitores.

Apesar destas audiências registadas na imprensa escrita, o estudo revela que 64% da população de Luanda não lê jornal e 84% não costuma a ler revistas.

No domínio do acesso à internet, o estudo revela ainda que 95,4% acessam o Facebook, seguido do Whatsapp (44,4%), Instagram (22,7%), Viber (8,7%) e Snap Chat (6%).

Na área das telecomunicações, registou-se a penetração de 84% de marcas de telemóveis das operadoras Unitel e Movicel.

A Marktest Angola faz parte do Grupo Marktest, constituído por várias empresas especializadas na área de estudos de mercado e processamento de informação, presente em Angola desde 2006.

Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo