Segundo o ministro das telecomunicações e tecnologias de informação, José Carvalho da Rocha, que falava em conferência de Imprensa, o futuro quarto operador vai ter uma licença global.

“O quarto operador não será apenas de telemóvel. Simplificamos o processo e as licenças vão ser globais. Ou seja, o operador poderá disponibilizar outros serviços, como por exemplo o serviço de televisão por assinatura”, explicou o governante.

Segundo o ministro, a medida visa melhorar a eficiência do sector com introdução de mais concorrência que poderá trazer ganhos para os potenciais utilizadores destes serviços.

“A concorrência é boa para a melhoria dos serviços prestados”, disse José Carvalho da Rocha.

Durante o encontro com a imprensa o titular da pasta das telecomunicações e tecnologias de informação disse também que a empresa pública Angola Telecom, que tem a terceira licença para operar a rede móvel, verá privatizado 45 por cento do seu capital.