Nesse congresso, a UNITA decidirá quem será o novo presidente do partido, já que Isaías Samakuva colocou o seu lugar à disposição.

“Estamos a trabalhar nessa matéria, mas garanto que o congresso extraordinário para eleição do novo presidente vai acontecer ainda este ano”, disse ao Novo Jornal Online o porta-voz da UNITA, Alcides Sakala.

Relativamente aos pretendentes à liderança do partido, Sakala respondeu que “todos militantes da UNITA que reúnem condições podem candidatar-se”.

“A UNITA tem muitos quadros capazes de dirigir o nosso histórico partido”, acrescentou Sakala, que não adiantou se vai ou não candidatar-se à direcção do “Galo Negro”.

Recorde-se que o presidente UNITA, Isaías Samakuva, afirmou recentemente que pretende abandonar a liderança do maior partido da oposição, colocando o seu lugar à disposição no arranque de um novo ciclo político em Angola.

“Afirmei aos angolanos antes e durante a campanha eleitoral que depois das eleições deixaria o cargo de presidente da UNITA para servir o partido numa posição diferente. Mantenho e reafirmo esta decisão”, revelou Samakuva, para quem “é chegado o momento de se desencadear um novo processo”.

No topo da direcção da hierarquia fala-se em possíveis sucessores. Nomes como Alcides Sakala, Abílio Camalata Numa, Pedro Kachiungo, Rafael Missanga Savimbi ou Liberty Chiyaka começam a emergir nas conversas de corredores.

Isaías Samakuva foi eleito presidente do partido em 2003, depois da morte em combate, no ano anterior, do líder e fundador da UNITA, Jonas Savimbi, o que levou ao fim da guerra civil de quase 30 anos em Angola.