A notícia, assim como ela acontece

Governadores e primeiros secretários do MPLA de cinco províncias podem manter-se com João Lourenço

A direcção do MPLA vai manter os primeiros secretários e governadores das províncias onde o partido conquistou todos os cinco lugares de deputados em disputa nas eleições gerais de 23 de Agosto , disse ao Novo Jornal Online uma fonte do Bureau Político dos “camaradas”.

Segundo a mesma fonte, os governadores e primeiros secretários de Malanje, Norberto dos Santos “”Kwata Kanawa”, do Kuanza Norte, José Maria Ferraz, do Kuanza Sul, Eusébio de Brito Teixeira, da Huila, João Marcelino Tchipingue e do Cunene, Kundi Paihama, deverão manter os cargos porque “fizeram uma brilhante campanha eleitoral” o que permitiu o MPLA eleger cinco deputados em cada uma destas províncias.

“Não faz sentido mexer numa equipa vencedora. O que podemos apenas fazer é reforçar com mais quadros para que nas próximas eleições voltemos a ganhar”, disse a fonte, deixando entender ainda que nas restantes províncias as mudanças são um cenário em construção, embora não se espere uma mudança generalizada.

Para a fonte, desde que o país iniciou, em 1992, o percurso normal de realização de eleições, a oposição nunca elegeu qualquer deputado nestas cinco províncias.

“São províncias de confiança, por isso, a direcção do nosso partido está atenta às preocupações dos nossos militantes e não só”, sublinhou.

Na sexta-feira passada, o Presidente eleito, João Lourenço, transmitiu ao Bureau Político do MPLA a composição do novo elenco governativo de Angola.

Reunido sob orientação do presidente do MPLA e Chefe de Estado cessante, José Eduardo dos Santos, o BP do MPLA tomou conhecimento “dos departamentos ministeriais que vão compor os órgãos auxiliares do Presidente da República”.

A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) divulgou recentemente, os resultados definitivos das eleições gerais de 23 de Agosto confirmando a vitória folgada do MPLA e do seu candidato a Presidente da República, João Lourenço, com 61,07%, o equivalente a 4 164 157 votos, elegendo 150 deputados, o que lhe confere uma maioria qualificada na Assembleia Nacional.

A UNITA e o seu candidato à Presidência da República, Isaías Samakuva, ficou em segundo lugar com 26, 67 por cento, o que corresponde a 51 deputados.

Em terceiro ficou a CASA-CE, que propunha Abel Chivukuvuku para a chefia do Estado, com 9, 44 por cento, e 16 deputados.

Segue-se o PRS, com 1, 35 por cento, com dois deputados eleitos, a FNLA com 0, 83 e um deputado eleito.

você pode gostar também
Loading...

Com um gosto você fica por dentro de tudo