A notícia, assim como ela acontece

Voto consciente [×] |PÉROLA DAS ACÁCIAS

Finalmente chegou o dia. Amanhã, mais de nove milhões de angolanos vão escolher o futuro presidente e partido que governarão o país até 2022.

Foram longos sete meses de pré-campanha e campanha eleitoral, que iniciou em Fevereiro e terminou ontem. Independentemente do resultado, uma coisa é certa: Angola terá um novo presidente. Em relação ao partido, iremos escolher entre a manutenção de um partido ou eleger outro. Tive a oportunidade de acompanhar a campanha desde o princípio, pelas televisões, rádios, jornais e redes sociais. Podemos considerar que foram sete meses exaustivos onde não ficou “pedra por remover”. Os partidos e candidatos desdobraram-se em viagens, comícios e encontros num fôlego impressionante. Ficamos a conhecer os programas de governação e os pontos chave de cada campanha. Foram muitas as promessas, acusações, ataques directos, etc. A campanha cobriu literalmente todo a vastidão do território nacional, onde o voto foi (aparentemente) conquistado em cada rua, cada esquina, cada mercado (praça). Cada eleitor tornou-se valioso. Felizmente, não se verificaram grandes atritos, exceptuando-se alguns empurrões sem graves consequências. O povo angolano mostrou maturidade em grande parte da campanha. Mas acabou.

Hoje é o dia de reflexão. Hoje é o dia que vamos pensar nos prós e contras de cada campanha. Hoje é o dia que vamos tirar todas as dúvidas da cabeça e decidir o que vamos fazer amanhã. Não podemos chegar à assembleia eleitoral sem saber em quem vamos votar. Essa decisão tomamos hoje e amanhã traduzimos a nossa decisão em acção, colocando o “x” no quadradinho do nosso candidato/partido, tendo cuidado para não ultrapassar os limites do referido quadrado. Devemos ter a consciência que o nosso voto é importante e indispensável, pois contribuirá para o rumo do país de 2017 a 2022.

Durante os sete meses, o ponto mais concordante dentre as 6 campanhas foi o apelo ao voto consciente. Não foram poucas as vezes que ouvi a expressão “voto consciente”. Candidatos, partidários, simpatizantes e demais envolvidos referiram-se ao “voto consciente” como sendo o voto no “seu” partido/candidato. Afinal, o que é o “voto consciente”?

“Voto consciente” é a consciencialização de que o nosso voto individual tem um peso no futuro do país e assim optar por aquele candidato/partido que melhor se apresenta para conduzir o país por cinco anos.

“Voto consciente” é ter consciência de que os representantes do povo (os deputados) escolhidos por cada partido são os que apresentam melhores condições técnicas e intelectuais para decidir e aprovar (ou não) as leis que influenciam a nossa vida quotidiana.

“Voto consciente” é ter conhecimento de todos e principais problemas que afectam o país/província/município e saber exactamente qual a melhor proposta para mitigar cada um deles.

Além destas premissas, votar de forma consciente é optar pelo candidato/partido que:
(Não necessariamente por esta ordem)
Seja capaz de resolver os problemas básicos do país;
Tenha capacidade para promover a estabilidade política do país;
Possa promover o crescimento económico e estabilidade cambial;
Tenha capacidade para combater a corrupção;
Promova a qualidade na prestação de serviços da função pública;
Incuta a mentalidade de que os funcionários públicos, independentemente do cargo ou função, são servidores públicos;
Promova a igualdade de género;
Promova e respeite a igualdade étnica e cultural;
Respeite o direito de manifestação de opinião pública e da crítica;
Não tenha como recurso verbal o incitamento a violência e a insegurança;
Promova e garanta a segurança interna e combata a criminalidade sem restrições;
Disponibilize em todo território, sem excepções, os serviços básicos de educação, saúde, segurança, fornecimento de energia e água com qualidade;
Garanta qualidade e durabilidade na obras públicas;
Garanta a correcta gestão dos bens públicos e apresente contas regularmente;
Promova a harmonia e coabitação religiosa;
Promova o emprego e a formação profissional;
Proporcione condições condignas para os ex-militares, reformados e idosos;
Promova o fomento habitacional;
Permita a livre circulação e em condições aéreas, terrestres e marítimas em todo território nacional;
Promova a massificação desportiva e condições para o incremento qualitativo dos nossos desportistas;
Promova a revisão e maior coerência da legislação fiscal;
Etc, etc, etc

Temos a convicção de que em cinco anos é praticamente impossível cumprir estas e outras premissas, mas vamos optar por aqueles que reúnam melhores condições e consigam atingir o maior sucesso possível, em prol de Angola 🇦🇴.

Eu vou votar em consciência
Vote consciente
[ X ]

você pode gostar também
Loading...

Com um gosto você fica por dentro de tudo