Nos próximos dias receberemos em apoteose o mano João e toda comitiva. Benguela está engalanada com as cores do partido e o teu rosto nas fotografias, outdoors e companhia.
Ruas e ruelas, becos e avenidas, locais proibidos e não proibidos estão embelezados com propagandas do número 4. Os militantes estão eufóricos quase não dormem, outros já começaram a beber, aliás cervejas, grelhados e damas encontram-se em prontidão. Portanto, foram preparados com acuidade.
O mano aparecerá no momento crucial dos militantes que estão desavindos por causa do primo Isaac que não controlava a boca, abriu-lhes os olhos. Ele era uma oposição interna do partido.
Dizem aqui que não ouviu os teus gritos nem arrepios, e que condicionaste a tua visita com a sua saída. Outras vozes, dizem que tiraste-lhe de Benguela pois ele misturava o papel de governante e empresário puxando tudo para o seu ego.
O primo Jú Martins não foi convincente para justificar a “expulsão” do primo Isaac daqui. Por isso aguardamos que o mano João venha explicar sem rodeios e pôr ordem no circo. Pois, o primo Rui Falcão solitário poderá não resistir.
Por outro lado, procura unir o Comité Provincial e dinamizar a pré-campanha do partido para que esteja mais virada para o grupo alvo sobretudo os indecisos e os apartidários. Porquanto, aqui só estão a ensinar votar no 4.
O manifesto eleitoral e o programa de governo, aka! são poucos que dominam os seus conteúdos. Aqui mesmo é só já, vota no quatro, quatro daqui, quatro dali, dança do quatro, fotografias do quatro enfim. A pessoa pergunta, na vertente económica, o que diz o programa do governo do 4? Engasgam-se, quase ninguém sabe! Viram-te às costas. Até nos cap`s não dá para questionar muito.
Ó mano João! O verdadeiro adversário do partido não é a oposição nem a sociedade civil são alguns militantes noctívagos e a própria governação.
O mano por exemplo não passará por nenhum buraco nem de agulha nas estradas, todo o teu trajecto sofreu obras de restauro de última hora com pedras, cimento e pedaços de asfaltos. Fizeram tudo para não veres às armadilhas do nosso quotidiano na via.
O lixo e poeira fazem parte do cartão postal da cidade, só que o mano também não os verá. Se andasses só de kupapata, terias a certeza que não mentimos. No entanto, para reduzir o tormento surgiram algumas empresas de recolha de lixo, não sabemos, se é só para o período eleitoral ou será definitivo e alguns moradores que pagam mensalmente a taxa do lixo estão ajudar a diminuíram grandemente a “muralha de lixo da China” um pouco por toda província.
Todavia, o problema continua bicudo sobretudo na “Benguela recôndita” onde não há água e luz, e os bêbados todos a caírem, como disse o poeta.
O primo Rui Falcão alimentou mais uma vez às nossas moribundas esperanças ao afirmar que no prazo de 45 dias o problema da energia eléctrica será resolvido. No tal dia ligamos volume do rádio no máximo, mas ouvimos bem, era mesmo isso que ele disse.
Estamos a contar os dias e já faltam poucos. Mas depois do primo falar a distribuição piorou. Ah! Sabemos que “depois da tempestade vem a bonança”. É verdade, a felicidade é que todos nós queremos. Nem Se bem?
A distribuição da água é um mal menor sobretudo no litoral apesar de ainda existirem bairros que o precioso liquido não chega de forma oficial. Porém, alguns chefes fazem o negócio das cisternas, vendendo-a aos moradores.
No interior da província nas vilas e cidades vemos jovens, senhoras e idosas a pulularem a procura do líquido, nesta fase de cacimbo é pior até nas administrações municipais há reservatórios.
O primo Rui Falção disse que apostará no empresariado de Benguela desde que haja custo/qualidade e que não receberá nada pois que a classe é pobre. É verdade. Contudo, naquela sala se formos, a falar com honestidade, empresários contam-se. Então, poucos sobreviverão.
Na educação o primo Rui Falção quer acabar com latas e assentos plásticos nas escolas, e portanto pretende uma gestão escolar moderna, comunitária e justa. Mas só que já não só as crianças que estão fora do sistema de ensino também os adultos não só alfabetizados mas também aqueles que terminaram a 9ªclasse e 12ª classe que por razões financeiras partiram cedo o lápis.
No sector da saúde os hospitais públicas paredes bem bonitas, camas de luxo. Porém, não têm o mínimo de medicamentos até para urgências e emergências. E o doente pobre sofre, mano João, é sério.
No mercado de emprego quer público quer privado sobretudo para os jovens não obstante alguns com qualificação profissional ou técnica, com canudos e diplomas está duro. A educação que era a salvação tornou-se no inferno depois do maior espetáculo inédito das listas dos apurados, e o mais grave, é que a culpa morreu solteira. O partido tem razão a luta continua.
Estamos a cansar o mano João mais os assuntos de Benguela não acabam. Mas gostaríamos pedir um favor ao mano João quando ganhares pensa na velha, pensa também no teu caçula, nas concubinas e amantes dos chefes que querem também estatuto especial.
O poeta que não é poeta

Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo