Now Reading:
João Lourenço: “vamos pôr sal na gasosa”

João Lourenço: “vamos pôr sal na gasosa”

João Lourenço, que falava em Mbanza Kongo durante um acto político da sua apresentação à população da província do Zaire, prometeu igualmente um combate cerrado à corrupção e ao compadrio.
O também vice-presidente do MPLA admitiu que a corrupção, vulgarmente conhecida como “gasosa”, e o compadrio ou “cunha” são dois males que actualmente enfermam a administração pública, mas prometeu combatê-los de forma cerrada, caso o partido no poder volte a merecer a confiança dos eleitores no dia 23 de Agosto. “Temos de combater a gasosa e a cunha. Vamos trabalhar todos juntos no sentido de acabarmos com estes males. Vamos pôr sal na gasosa. O cidadão que se dirige a uma instituição para resolver o seu problema não deve pagar duas vezes. Deve apenas pagar o que é devido ao Estado e não dar mais alguma coisa a intermediários”, exortou João Lourenço, sublinhando, no entanto, que a gasosa só vai acabar quando os cidadãos lesados fizerem denúncia.

Elogios a Bornito de Sousa

João Lourenço, que apresentou à população do Zaire o candidato do MPLA a Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, também prometeu combater o compadrio, que à semelhança da corrupção, preferiu igualmente chamar pelo nome  que é mais conhecido pela população, a “cunha”. O candidato do MPLA defende que os problemas do cidadão devem ser resolvidos no balcão das instituições públicas e não por intermediários. “Vamos trabalhar para que haja uma sociedade onde não haja gasosa, nem compadrio ou padrinhos na cozinha (…). Essa é uma luta que temos de vencer e eu acredito que vamos vencer porque a maioria dos cidadãos angolanos são honestos”, disse, confiante, João Lourenço que citou uma frase célebre do primeiro Presidente angolano, António Agostinho Neto: “Nós somos milhões e contra milhões ninguém combate. Quem tentar, será vencido”!
Perante milhares de militantes, amigos e simpatizantes do MPLA que preencheram o Largo Dr. António Agostinho, no centro da cidade de Mbanza Kongo, o candidato presidencial do partido no poder sublinhou que a vitória contra a corrupção e o compadrio também passa pela melhoria do funcionamento das instituições públicas, como as conservatórias, notários, tribunais e esquadras policiais. Esta acção, disse, vai implicar um trabalho de educação e superação que pode levar algum tempo, mas que deve ser feito. O candidato do MPLA admitiu que o desenvolvimento socioeconómico de Mbanza Kongo não corresponde à sua importância histórica. João Lourenço, cujos pais trabalharam no Nzeto (antigo Ambrizete) e Mbanza Kongo (o pai como enfermeiro e a mãe como costureira), prometeu alterar o quadro, caso ganhe as eleições gerais.
O candidato presidencial realçou que não vai ser feito milagre nenhum, uma vez que o trabalho para o desenvolvimento do Zaire  já começou. O Executivo liderado pelo MPLA, disse, já tem feito significativos investimentos, tendo destacado o projecto “Angola LNG” e o do Ciclo Combinado, todos no município do Soyo, que têm em vista a melhoria do fornecimento de energia à população do Zaire e não só.
O Executivo, acrescentou, está preocupado com a distribuição de água potável à população, daí estar em construção a estação de abastecimento de Mbanza Kongo, por si visitada na sexta-feira. “Dentro de um ano ou um ano e meio, a província terá um complexo hospitalar de referência”, anunciou João Lourenço, que visitou a obra em Setembro do ano passado, nas comemorações do Dia do Herói Nacional. O vice-presidente do MPLA está consciente de que o desenvolvimento não passa só pelos sectores da energia, águas e saúde, mas também das comunicações e transportes, razão pela qual, disse, o Executivo também está apostado nessas áreas, com a construção e reconstrução de estradas. Anteriormente, disse, o aeroporto era invadido por cabritos que pastavam nas proximidades e nem havia uma aerogare para a venda de bilhetes de passagem. Hoje, acrescentou, o cenário é diferente. Ainda assim, João Lourenço anunciou, para breve, a construção de um novo aeroporto com maiores dimensões e condições e num local distante de residências, para evitar eventuais acidentes.

“Terei uma missão única”

O candidato do MPLA realçou o papel de Agostinho Neto no alcance da Independência Nacional, e do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, na consolidação da Independência, garantia da soberania, da paz e unidade nacional, bem como no lançamento das bases para a reconstrução nacional e desenvolvimento económico.
Com tudo isso feito por Agostinho Neto e pelo actual Chefe de Estado, João Lourenço considera que, caso seja eleito Presidente da República em Agosto deste ano, terá uma missão única: garantir o desenvolvimento económico do país, apostar na formação dos quadros, quer em quantidade, quer em qualidade, assim como criar as condições para que os investimentos estrangeiros tenham êxito, criando, assim, mais postos de trabalho.
Dois dias depois da comemoração do Dia Internacional da Criança, o candidato presidencial pelo MPLA prometeu lutar para o respeito dos direitos dos mais pequenos, por serem mais frágeis e aqueles que precisam de mais protecção.

Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo