Falcão promete normalizar fornecimento de energia em 45 dias

O fornecimento de corrente eléctrica, fortemente afectado por restrições devido a quebra da capacidade disponível de 128,4 Megawatts para 41,9, será normalizado dentro 45 dias, informou quarta-feira, o recém nomeado governador de Benguela, Rui Falcão Pinto de Andrade.

O governante falava a imprensa após uma visita efectuada aos sectores de energia e águas da zona litoral da província, durante a sua primeira visita de campo, seis dias após a sua apresentação oficial às diferentes autoridades locais.

À imprensa, o governador da província disse que vai trabalhar para que dentro de mês e meio os actuais constrangimentos registados no domínio de electricidade estejam ultrapassados, com a colocação de novos equipamentos em linha, reparação de uns e a manutenção dos que já funcionam.

“Há alguns problemas, nomeadamente com os combustíveis, mas temos que continuar a trabalhar para que essas situações sejam ultrapassadas nos próximos tempos”, assegurou.

Disse que, a constatação serviu para ter uma noção daquilo que há por se fazer e a necessidade de se utilizar no máximo a capacidade instalada existente, actualmente aquém das necessidades do público consumidor.

Em função das preocupações que constatou, informou ser urgente terminar com as obras em curso para que se dê solução as actuais preocupações das populações.

A zona litoral da província de Benguela tem uma capacidade instalada de 128 Megawatts, mas apenas 41,9 estão disponíveis, o que eleva as necessidades de consumo e consequentemente as respectivas restrições que afligem o litoral da província – Benguela, Baía Farta, Catumbela e Lobito.

Rui Falcão verificou “in-loco” a hidroeléctrica do Biópio (14,4 MW, de potência instalada, apenas 10,5              disponíveis), a Central Térmica do Biópio, 22 Megawatts e, nenhum Megawatt disponível (aguarda por reparação), trabalhou na Central Térmica da Quileva (72 MW de capacidade instalada, mas apenas 24 disponíveis), onde estão sendo instaladas outras novas três Centrais Térmicas de 30 MW cada.

Durante cerca de nove horas, o governador da província visitou, entre outras instalações, o futuro ponto de seccionamento das linhas de 220 KVA de corrente proveniente da Barragem de Lomaum e o sistema norte (Alto Chingo – Gabela – Cambambe – Kileva), central hidroeléctrica do Biópio, a central térmica do Biópio e a central térmica da Kileva. Estas tês centrais eléctricas têm uma capacidade total instaladas de 128 Megawatts, mas apenas 41 MW estão disponíveis.

Inspeccionou a central térmica do Cavaco (20 MW de potência instalada desde 2012, mas sete Megawatts disponíveis, cinco anos depois, assim como a central térmica do Cavaco e a subestação de Benguela Sul (em construção), constam das áreas que mereceram a atenção do governante neste seu primeiro contacto com o sector empresarial público da província.

O governador visitou igualmente a Estação de Tratamento de Água de Benguela, nas suas diferentes fases já executadas (I, II, III estando na chamada fase complementar que aguarda por aprovação do Conselho de Ministros), cuja previsão de capacidade de produção situa-se em 2.500 litros/segundo, tendo estendido a sua constatação a projectos de furos de captação de água subterrânea.

Neste sector, o responsável disse haver maiores dificuldades, pelo que há muito mais por se fazer, mas a solução passa pela continuidade do trabalho na procura das soluções.

Inteirou-se ainda da subestação do PDIC que vai alimentar a centralidade do Luongo e a zona industrial do Polo da Catumbela nas fases I e II, a Estação de Bombagem da Bandeira, zona alta do Lobito, com capacidade de adução de 350 metros cúbicos (para zona alta), estação de bombagem do reservatório n.1 para 100 metros cúbicos de adução (projecto em curso para abastecer 44.444 famílias do bairro Alta Esperança) e, o Açude da extinta açucareira da Catumbela.

O novo chefe da província, apresentado há menos de uma semana, visitou igualmente a empresa de Tratamento de Águas do Luongo (ETA), Campo de Furos do Cavaco, os reservatórios 1 e 4, para 30 mil pessoas, e um outro projecto acoplado ao reservatório 4 para mais 24 mil novos beneficiários.

Esta foi a primeira deslocação do governador, Rui Falcão, desde que foi apresentado oficialmente na província, pelo ministro do Território Bornito de Sousa, dia 15 do corrente mês.

Loading...
Input your search keywords and press Enter.

Com um gosto você fica por dentro de tudo