China perdoa parcialmente dívida de Angola

Segunda-feira, em Luanda, no final de conversações oficiais entre delegações dos dois países.



As conversações foram realizadas no Ministério angolano das Relações Exteriores, na sequência da visita de quatro dias do conselheiro de Estado do Conselho da República Popular da China, Wang Yong, iniciada no último domingo.

Pela parte angolana, as negociações foram dirigidas pelo ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Manuel Hélder Vieira Dias “Kopelipa”, e pela parte chinesa por Wang Yong.

Segundo uma fonte do Ministério das Relações Exteriores a que a Angop teve acesso, o protocolo visa apoiar o desenvolvimento da economia de Angola e aliviar o seu cargo da dívida, cujo montante não foi revelado.

Referiu que nos termos do acordo assinado, a parte chinesa concorda em dispensar as obrigações da parte angolana em termos de amortização do empréstimo sem juros que já entrou no período de reembolso, até ao final de Dezembro de 2015.

Sublinhou que para as regularizações de contas para o perdão da dívida, serão feitos procedimentos específicos pelos Bancos de Desenvolvimento da China e o Nacional de Angola, bem como o Ministério das Finanças.

Por outro lado, a fonte acrescenta que a pedido de Angola, o Governo chinês concorda em efectuar um estudo de viabilidade do Centro Integrado da Formação Tecnológica (CINFOTEC), um projecto de ajuda externa ao governo angolano.

Acrescenta que, para concretizar o estudo, a parte chinesa vai enviar um grupo de especialistas a Angola, para efectuar uma investigação do projecto.

“As despesas decorrentes do estudo de viabilidade, no valor de 1,300,000 RMB, serão suportadas no âmbito da doação estabelecida ao abrigo do Acordo de Cooperação Técnica e Económica entre os governos da China e de Angola, assinado a 5 de Junho de 2015”, salienta.

Rubricaram o acordo, que resultou de consultas amistosas entre Angola e a China, a secretária de Estado para a Cooperação, Ângela Bragança, e o embaixador da China acreditado em Angola, Cui Aimin.

A China é uma parceira estratégica de Angola que desde 2010 tem estado a apoiar vários projectos do Executivo, em diferentes domínios, com realce para o da construção e infra-estruturas.

Na sequência, o ministro das Relações Exteriores de Angola, Georges Chikoti, reuniu-se com o dirigente chinês, à porta fechada, para abordar questões de interesse comum.

você pode gostar também

Comentários

Loading...

Com um gosto você fica por dentro de tudo