Alerta máximo do Reino Unido: “novo ataque terrorista iminente”

Nível de alerta foi elevado de “grave” para “crítico”. Uma rede ligada ao bombista suicida estará ativa.

Decisão foi anunciada por Theresa May. Significa que poderá estar iminente um novo atentado. Milhares de militares – cerca de cinco mil – serão colocados em locais considerados “críticos” ou de “potencial risco”.

É a primeira vez, desde 2007, que o nível de alerta terrorista é colocado no máximo.

Theresa May explica que há suspeitas de que o bombista Salman Abedi faça parte de uma rede que estará ativa.

A governante afirmou que o “ataque cobarde e insensível” de segunda-feira justifica o reforço das medidas de segurança definido pelo Governo britânico.

Assim, polícias serão substituídos por militares sob orientação policial em “locais chave” do país, permitindo “à polícia aumentar significativamente o número de agentes armados em patrulha”.

A primeira-ministra assinalou ainda que serão destacados militares para patrulhar concertos e jogos desportivos.

Theresa May considerou que é “uma resposta sensata e proporcional” elevar o nível de alerta, indicando que haverá militares em patrulha em locais sensíveis e acontecimentos com muito público, como a final do campeonato de futebol inglês que se joga no sábado no estádio londrino de Wembley e em que estará presente o príncipe William.

O ataque em Manchester foi o mais mortífero desde que quatro bombistas suicidas mataram 52 pessoas que viajavam em autocarros e no metropolitano de Londres, em 2005.

Ao final da manhã de terça-feira, a polícia de Manchester anunciou ter detido um jovem de 23 anos, na zona sul de Manchester, por suspeita de ter ligação ao atentado. Já ao início da tarde, as autoridades informaram que executaram dois mandados de detenção, em Whalley Range e em Fallowfield, onde efetuaram uma “explosão controlada”. As detenções estão ligadas à investigação ao “terrível ataque” da Arena de Manchester.

Datas dos principais alertas

The last two occasions the threat level was raised to Critical the alert lasted no more than a few days:

Pelo menos 22 pessoas morreram, além do atacante, e 59 ficaram feridas num atentado na Arena de Manchester, no norte da Inglaterra, na segunda-feira, no final de um concerto da cantora Ariana Grande, segundo o balanço mais recente da polícia.

O ataque foi perpetrado por um homem sozinho, disse a primeira-ministra Theresa May, que adiantou que as autoridades já estabeleceram a identidade do atacante, Salman Abedi, um homem de 22 anos natural de Manchester.

Segundo a BBC, este homem era estudante na Salford University.

Salman Abedi, foi identificado como sendo um britânico de origem líbia discreto e reservado, segundo a imprensa britânica.

“Era um jovem muito discreto, sempre muito respeitoso para comigo”, testemunhou um cidadão líbio de Manchester citado pelo jornal The Guardian.

“O seu irmão Ismael era muito sociável, mas Salman [Abedi] era muito reservado”, acrescentou.

De acordo com a imprensa britânica, Salman Abedi terá nascido em Manchester em 1994, filho de pais líbios fugidos ao regime de Muammar Kadhafi que se refugiaram no Reino Unido, primeiro em Londres e depois no bairro residencial periférico de Fallowfield, no sul de Manchester, nos últimos dez anos.

O atentado foi reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Um dos soldados do Califado conseguiu colocar um engenho explosivo dentro de um ajuntamento de cruzados na cidade de Manchester”, disse a organização em comunicado.

você pode gostar também

Loading...

Com um gosto você fica por dentro de tudo