Taxistas aconselhados a cancelar a greve devido os trabalhos de campo do Presidente

Posted on Fevereiro 17, 2017, 4:39 pm
FavoriteLoadingAdd to favorites 4 mins

A Nova Aliança dos Taxistas de Angola revela que está a ser aconselhada a cancelar os protestos de segunda-feira, devido à visita que o Presidente da República vai efectuar a alguns bairros de Luanda.

Mesmo assim, os associados da organização mantêm a ideia de paralisar o serviço de táxis, apesar do governo da província anunciar o inicio da sinalização das paragens numa reunião realizada ontem no Governo Provincial de Luanda.

A organização que representa os “candongueiros”  abandonou o encontro por falta de consenso, e foi convocada ainda ontem para um reunião com Casa Civil da Presidência da República.

“Abandonámos a reunião porque tentaram nos intimidar. Disseram que o país está em paz e não podemos fazer reivindicações porque isso causa instabilidade no país. E nós dissemos que só queremos que resolvam o nosso problema, pois a paralisação é fruto da incapacidade das autoridades em criar políticas viáveis”.

Esta segunda reunião também não chegou a uma conclusão. A Nova Aliança e a Casa Civil têm um novo encontro previsto para esta tarde.

Em declarações ao Rede Angola, o presidente da Nova Aliança do Taxistas, Geraldo Wanga, afirmou que durante encontro de ontem com a Casa Civil da Presidência da República, a organização apresentou todas as inquietações dos “candongueiros”.

“Segundo eles, estavam a falar connosco sob orientações do Presidente da República. Informaram-nos que o Presidente vai visitar o Cazenga e também o Benfica. E o medo deles é encontrar as ruas cheia de gentes por falta de táxis”, informou Geraldo Wanga. Apesar dos apelos, a Nova Aliança não mudou de ideia. “A posição ainda mantém-se. Hoje temos o último encontro com os senhores da Casa Civil. Eles querem que cancelemos a greve, mas vamos apresentaram novamente as nossas exigências”.

Os candongueiros dizem que durante o encontro realizado no Governo Provincial de Luanda, onde estavam os representantes da Polícia Nacional, da União Nacional dos Trabalhadores de Angola (UNTA), a Associação dos Taxistas de Luanda, outra organização sindical que representa a categoria, afirmou que não se revê nos protestos previstos para a segunda-feira pela Nova Aliança.

“Há necessidade de termos paragens, tomar medidas a alguns agentes da polícia que têm constrangido o nosso trabalho, mas não é razão para se fazer greve ou qualquer tipo de manifestação contrária ao nosso exercício”, sublinhou Manuel Faustino, representante da ATL.

Novas paragens

O GPL  anunciou que ontem que Luanda terá cerca de mil paragens de táxis colectivos, que vão ser assinaladas no prazo de 20 dias, em toda a extensão da província de Luanda. Segundo Walter Prado, o gerente da empresa que vai sinalizar as paragens, os trabalhos começam segunda-feira.

O responsável, citado pela Lusa, referiu que além das paragens de táxis vão ser igualmente colocadas outras 98 para autocarros.

“Neste momento estamos a trabalhar com o governo da província, num processo de constatação, estando previsto para segunda-feira o início das sinalizações nas áreas que já estão definidas pelo GPL”, disse. No entanto, a edição do Jornal de Angola desta sexta-feira, noticia que a sinalização começa hoje.

Deixe seu comentario