Conclusão de edifício de apoio à Assembleia Nacional vai custar USD 42 milhões

Posted on Janeiro 07, 2017, 2:16 pm
FavoriteLoadingAdd to favorites 2 mins

A conclusão da construção do edifício de escritórios da Assembleia Nacional pela empresa Somague vai custar USD 41,7 milhões e será incluída na linha de crédito e seguro à exportação portuguesa COSEC.

A informação consta de um despacho assinado pelo presidente José Eduardo dos Santos, com data de final de Dezembro, autorizando o novo contrato e confirmando a adjudicação da empreitada à empresa portuguesa pelo Gabinete de Obras Especiais.

A Lusa notificou em Outubro de 2015 que o governo aprovou formalmente a obra de construção dos edifícios de escritórios das novas instalações do parlamento, em Luanda, em execução pela portuguesa Somague, mas que a forte desvalorização do kwanza deveria obrigar à revisão dos valores.

Em causa estava então o despacho presidencial publicado a 28 de Setembro de 2015, confirmando em termos legais a adjudicação da empreitada à Somague Angola por Kz 13.346 milhões, ou seja EUR 88,3 milhões, à taxa de câmbio de então, e EUR 72,2 milhões à taxa da data do novo despacho.

Contudo, em Março de 2014, quando a própria Somague anunciou o arranque da empreitada, referia tratar-se de um contrato, à data, no valor de USD 136 milhões (EUR 121 milhões).

Fonte da Somague, contactada em Outubro de 2015 pela Lusa, explicou que estavam em curso conversações com o cliente, o Estado angolano, com vista à revisão do acordo cambial, em função desta desvalorização.

Além disso, a obra, que envolve uma área superior a 42.000 metros quadrados, está totalmente parada há quase dois anos, “a pedido do cliente”, sublinhou a mesma fonte, adiantando que a empresa demonstrou disponibilidade para continuar com a empreitada, embora a um ritmo menor, tendo em conta os atrasos nos pagamentos.

Deixe seu comentario