Demissões em massa no Banco de Poupança e Crédito na região Centro/Sul do país

Posted on Janeiro 02, 2017, 6:06 pm
FavoriteLoadingAdd to favorites 2 mins

Em Benguela, 65 estagiários são suspeitos de terem entrado no BCP através de um esquema de fraude.

O Banco de Poupança e Crédito (BPC) suspendeu o vínculo laboral com 65 jovens estagiários colocados na província angolana de Benguela, pertencente à região Centro/Sul, devido a suspeitas de fraude no processo de admissão.

Só depois de denúncias que apontavam para indícios de exclusão, feitas sobretudo nas redes sociais, é que se soube que o BPC estava a promover um concurso público.

Agora, passados quatro meses, o Conselho de Administração do maior banco público, liderado por Cristina Van-Dunem, decide mandar para casa todos os estagiários, devendo chamar os legais quando estiver concluída a investigação.

A fraude terá empurrado para o BPC mais de 15 jovens, que vinham recebendo salários, à semelhança dos demais.

A VOA procurou ouvir a direcção regional, mas o banco tinha as portas fechadas no segundo dia do novo ano.

O director provincial do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Jorge Dambi, disse que o seu pelouro esteve à margem do processo de admissões.

Cá fora, a seguir o rumo dos acontecimentos, o jurista Chipilika Eduardo refere que se trata de um procedimento normal e sublinha que os prevaricadores podem ser responsabilizados criminalmente

“Se há fraude, o inquérito deverá dizer quem são as pessoas, em que circunstâncias cometeram e quais as suas responsabilidades. Que seja, esperamos, uma investigação isenta e imparcial, até porque alguns entraram de forma lícita’’, salienta o jurista, advertindo que pode haver responsabilização disciplinar, civil e criminal.

Não se sabe até quando decorrerá esta investigação por suspeitas de fraude no Banco de Poupança e Crédito.

Deixe seu comentario