Posted on Dezembro 30, 2016, 3:26 pm
FavoriteLoadingAdd to favorites 2 mins

Os organizadores de as festas de réveillon devem pagar taxas às Finanças

Os organizadores das festas de fim de ano em Benguela serão obrigados a pagar uma taxa a Repartição Fiscal das Finanças. A novidade foi avançada nesta terça-feira 27, pelo administrador municipal de Benguela, Leopoldo Muhongo.

” Eles realizam uma actividade lucrativa e devem junto à Repartição Fiscal das Finanças trabalharem para que sejam averbados os convites ou as fitas que usam como ingressos de forma a cumprirem com as suas obrigações com o Estado”. referiu Leopoldo Muhongo.

Por outro lado, o administrador municipal de Benguela garantiu que tudo estava a ser feito no sentido de se salvaguardar a segurança dos cidadãos que venha a participar nas festas de réveillon. “Evitar uma tragédia semelhante a da LS Republicano, no show realizado a cerca de dois meses, no campo do nacional, em que morreram mais de 7 pessoas, é nosso grande propósito”, assegurou Leopoldo Muhongo.

Uma preocupação partilhada pelas autoridades da cultura na província. Em entrevista à imprensa, Mário Cristóvão Kajimba, director provincial da cultura, vincou a ideia das autoridades de trabalhar na fiscalização de todos os eventos que serão realizado na passagem de ano na província para que os mesmo decorram com normalidade e dentro do espírito da boa convivência.

Mário Cristóvão Kajimbanga  anunciou que este ano os promotores das festas de réveillon serão obrigados a controlar os decibéis das musicais. Sendo que a partir da meia noite terão de manter o volume dos aparelhos no nível que não perturbe o descanso dos que venham a optar em passar o fim de ano em casa.

“Os bailes devem baixar o som a partir da hora zero para permitirem que os vizinhos descansem em paz “, concluiu Cristóvão Kajimbanga .

Deixe seu comentario

Redacção Central