Nelito Monteiro leva a tribunal jornalista Zé Manel. As partes convictas na justiça.

Posted on Abril 07, 2016, 4:45 pm
FavoriteLoadingAdd to favorites 7 mins

O jornalista da radio Ecclésia, Zé Manel foi ouvido pelo tribunal provincial de Benguela, hoje, quinta-feira (07), como réu numa acção judicial movida pelo empresário Nelito Monteiro. A audiência de instrução e julgamento em processo de indemnização e dano moral por injúria, calúnia e difamação decorreu com as partes a mostrarem-se confiante no desfecho do julgamento.[separator] REDACÇÃO[separator]

Na origem do julgamento, está um artigo publicado pelo jornalista na rede social Facebook que teria desagrado o empresário. Na altura, isto em meados do mês de Junho de 2015 Zé Manel escreveu um artigo de opinião em que questionava o apoio que estava a ser dado pelo governo de Benguela a feira Agropecuária promovida pela fazenda Utalala, uma vez que, segundo fontes do jornalista, a fazenda Utalala era pertença de Isaac dos Anjos, governador de Benguela. Pelo que opinava o articulista estava-se diante de um acto que lesava o principio da probidade publica, por se tratar de um apoio que supostamente favorecia os interesses empresárias do governador. No artigo, Zé Manel questionava ainda um suposto investimento do governo de Benguela de mais 20 milhões de dólares americanos naquela fazenda, curiosamente feitos depois de Isaac dos Anjos ter sido nomeada para dirigir a província.

O jornalista diz que cumpriu com seu dever de informar, respeitando a regras básicas da profissão, consubstanciadas no questionamento dos factos. “Na ocasião questionei o facto do governador de Benguela, Isaac dos Anjos, inaugurar a feira Agropecuária, na fazendo Utalala, quando as minhas fontes dizem que com propriedade que essa fazenda é pertença do governador. Nesta ordem de ideias, como o jornalista deve questionar, fi-lo, uma vez que, se estava diante de um conflito de interesses. Ou seja, de uma dupla personalidade do governador: empresário e governante”, disse Zé Manel.

Segundo o jornalista trata-se de um processo que esconde os seus verdadeiros interesses. Ou seja, o processo judicial contra si, está “eivado de interesses inconfessos”, como por exemplo: proteger a figura do governador de Benguela e “abafar” possíveis denuncias sobre os negócios que poderão envolver o governo e algum sector privado daquela região da província, supostamente com fortes interesses de Isaac dos Anjos.

“Visa tentar afastar um cenário que é domínio publico benguelense da presença empresarial do governador de Benguela na fazenda Utalala. O governo de Benguela tem feito no sector agrícola, sobretudo nas regiões do Cubal e Caimbambo grandes investimentos, numa parceria com o sector privado. Negocio feito muitas das vezes sem a divida transparecia.”, apontou o jornalista em entrevista.

Por sua vez, o advogado de defesa do réu Dialogana Pedro mostrou-se confiante para um desfecho favorável. Ainda assim fala de alguns vícios demonstrados pelo juiz da causa logo na primeira audição, o que obrigou a defesa a interpor um recurso.

“Esperamos que tenha um final transparente baseado na verdade manter. Um final que em nome da justiça se faça sentir, portanto, houve durante a sessão questões previas do meritíssimo juiz que pretendeu aceder a proposta do assistente de acusação em pretender adicionar outros dados”. Uma postura que levou o advoga a censurar o comportamento do juiz da causa.

“meritíssimo viola o principio da equidistância. Se ele mesmo encerrou as questões previas, depois do intervalo reabre e indefere todas as questões previas dos advogados de defesa. Não conseguimos perceber, por isso remetemos recurso”, afirmou. Para mais adiante afirmar que “com esta interposição o juiz da causa não tem competência, esperamos agora o pronunciamento do Tribunal Supremo”.[separator]

Empresário Nelito Monteiro quer apenas a verdade

No final da sessão de hoje, o empresário Nelito Monteiro reafirmou o desejo de ver reposta a verdade, diante das informações constantes no artigo divulgado pelo jornalista, que em sua opinião feriu a verdade.  “Acho que é considerável muito grave a questão de evocar que houve 20 milhões de dólares de dinheiro publico. Eu acho que todos tem o direito de reclamar, porque não houve investimento do dinheiro publico. São falsas declarações do jornalista, infelizmente não sei quais são as motivações, mas estamos perante uma situação em que a verdade deve ser esclarecida”, sublinhou o empresário.

Eu sou de opinião que as questões deve se esgotar fora dos tribunais, mas não houve boa vontade de outra parte, dai que não houve alternativa, se não recorrer à justiça para que se reponha a verdade”.

Segundo o empresário foram graves as acusações contidas no artigo, principalmente sobre um suposto investimento de 20 milhões realizados naquela fazenda pelo governo de Benguela. “É uma informação muito grave quando se acusa que há um investimento de 20 milhões de dólares americanos, numa propriedade. Infelizmente as pessoas não tem noção de dinheiro, falam em valores tão altos e depois ficamos aqui todos numa situação de desinformados”, desabafou.

Relativamente a titularidade da Fazenda, Nelito Monteiro foi categórico:  “ fazendo é de facto de Manuel António Monteiro “Nelito Monteiro”, há 11 anos. Isto está claro. Nós não temos necessidade de provarmos, mas se assim for necessidade, é fácil de provar, apenas com uma certidão; que é o documento que legitima o bem da propriedade”, esclareceu o empresário.

Deixe seu comentario

16 Responses to: Nelito Monteiro leva a tribunal jornalista Zé Manel. As partes convictas na justiça.

  1. Dezembro 24th, 2016

    I simply couldn’t leave your site prior to suggesting
    that I extremely loved the usual information a person supply on your
    guests? Is going to be again frequently to inspect new posts