"Bajulação" causa prejuízo de 2 milhões de dólares americanos a cervejeira Cuca

Posted on Novembro 28, 2015, 1:20 pm
FavoriteLoadingAdd to favorites 6 mins

Como uma gravidez indesejada, o parto da recente campanha de marketing da empresa cervejeira angolana (Cuca) acabou por revelar-se bastante doloroso, ao ponto de ter exigido uma cesariana com vista a evitar uma verdadeira depressão no porvir.

Q uando os seus ‘marketeiros’ resolveram lançar no mercado uma edição especial, expressa em latas e garrafas, alusivas aos 40 anos da Independência Nacional, dificilmente contavam com o revês comercial da campanha. Sectores bem identificados da sociedade mostraram-se contra o facto de se associar a imagem de figuras marcantes da história angolana, com destaque para o primeiro presidente angolano, António Agostinho Neto, com questões relacionadas com o consumo de bebidas alcoólicas, em se tratando de uma realidade que se pretende combatida intramuros. O que, por exemplo já se foi defendendo em várias redes sociais, é que, em função da alta de sinistralidade, com o número de mortes e feridos a subir cada dia mais e mais, em vez da figura de Agostinho Neto, nas latas e garrafas, a empresa cervejeira estaria a exercer da melhor forma a sua responsabilidade social se viessem plasmadas mensagens sensibilizadoras em torno da matéria ou, se não fosse demasiado, imagens, inclusive, de acidentes, para que as pessoas tenham bem presente a necessidade da prevenção e de prudência. A sociedade reagiu negativamente à proposta de marketing, daí que não se tenha revisto na iniciativa.

E os resultados, esses, não se fizeram esperar: este jornal apurou de um quadro sénior da cervejeira angolana, familiar ao dossier, que a mesma registou uma perda significativa de qualquer coisa como dois milhões de dólares, ao mesmo tempo que a empresa se viu obrigada a retirar, às pressas, o produto dos circuitos comerciais. Para além do que se debateu na praça pública, terá contado também para este prejuízo, segundo a nossa fonte, a intervenção oportuna dos familiares directos do ‘saudoso guia da nação’(viúva e filhos), que franziu a testa diante de uma homenagem achada de alguma forma despropositada. E nada demoveu os familiares da sua decisão.

“A imagem de Agostinho Neto num livro, numa marca de yogurte, leite ou outros produtos que poderiam estar associadas a boas práticas não levantaria tanta polémica como numa cerveja, um produto que está associado a práticas nocivas e altas taxa de sinistralidades rodoviárias, que as autoridades pretendem combater”, destacou afonte que temos vindo a citar. A direcção da cervejeira viu-se surpreendida pela decisão, de tal forma que não teve outro remédio, senão respeitar a decisão da família. A Direc- ção de Marketing, acrescentou a fonte, deixou tudo nas mãos de uma agência de publicidade (Zwela), que já não goza de boas referências no mercado. Aliás, a culpa poderá não morrer solteira, uma vez que já se fala de cabeças que poderão rolar, como é o caso do responsável da área de marketing da Cuca. Num passado recente, a Cuca apresentou também produtos seus com obras de artistas plásticos angolanos. Pensava-se, por isso, somar mais pontos com a recente campanha. “A história da Cuca funde-se com a história do país”, referiu Phillipe Frederic, o administrador executivo do grupo, em discurso proferido na concorrida cerimónia de lançamento de uma campanha que se revelou desastrosa, um autêntico auto-golo, numa altura em que a equipa se encontra a ‘dominar’ o rumo dos acontecimentos, no que a indústria cervejeira nacional diz respeito “Se a intenção era homenagear e demonstrar a responsabilidade social da marca, a Cuca poderia fazer outras actividades em prol da divulgação e perpetuar este símbolo nacional.

A título de exemplo porque não contribuir para a entrega ou compra de livros de Neto e encaminhar às escolas próximas da fábrica. Poderiam também apostar numa biblioteca”, sugeriu a fonte. Talvez não fosse intencional querer colar a imagem de Agostinho Neto à bebedeira ou a comportamentos desviantes. Porém, seja como for, “por que não olhar mais para onde está instalada a fábrica, apostando em apoiar mais a comunidade, olhar para os talentos das redondezas, sem um olhar populista”, interrogou-se o mesmo interlocutor.

|||ACAPITAL

Deixe seu comentario

Redacção Central

14 Responses to: "Bajulação" causa prejuízo de 2 milhões de dólares americanos a cervejeira Cuca

  1. Dezembro 23rd, 2016

    Hmm is anyone else experiencing problems with the pictures on this blog loading?

    I’m trying to determine if its a problem on my end
    or if it’s the blog. Any feed-back would be greatly appreciated.